Conecte-se Conosco

WEB RADIO DESTAQUE DO IVAÍ



 

Coronavirus

Começo da vacinação contra a Covid-19 no Paraná pode atrasar, diz Beto Preto: ‘Não podemos criar falsas expectativas’

Publicado

em

O secretário de Saúde do Paraná, Beto Preto, disse nesta sexta-feira (15) que o início da vacinação contra a Covid-19 pode atrasar no estado por conta de uma “intercorrência com prazos na Índia”.

A vacinação estava prevista para começar no dia 20 de janeiro, às 10h, conforme foi anunciado pelo Ministério da Saúde durante reunião com os prefeitos, na quinta-feira (14).

“Houve uma intercorrência com os prazos na Índia. Pode ser que atrase. Por isso não podemos prever que a vacinação comece no dia 20, não podemos também criar falsas expectativas”, afirmou.

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) está importando 2 milhões de doses da vacina. O avião que buscaria o imunizante deveria embarcar nesta sexta-feira, mas o voo foi adiado.

Além das vacinas da Fiocruz, o estado também deve receber 300 mil doses da CoronaVac, do Instituto Butantan.

Distribuição de insumos
Enquanto as doses não chegam ao estado, o governo disse que irá começar a distribuir os insumos para a vacinação, como seringas e agulhas.

Ao todo, 2,2 milhões de itens serão enviados por quatro caminhões a partir de sábado (16) para as 22 Regionais de Saúde, que serão responsáveis pela distribuição aos municípios.

Segundo o governo, as cargas serão escoltadas pela polícia e órgãos da Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp).

Plano de vacinação
O Paraná irá seguir o Plano Nacional de Imunização (PNI) para aplicação das doses contra a Covid-19. Isso significa que o estado seguirá uma ordem prioritária de grupos para a vacinação.

Beto Preto diz que Paraná consegue aplicar 1ª dose da vacina contra Covid-19 em 4 milhões de pessoas até maio deste ano
O governo informou que os seguintes grupos serão vacinados até o fim do 1º semestre de 2021:

Primeira fase

  • Trabalhadores da saúde;
  • Idosos a partir dos 75 anos de idade;
  • Pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência, como asilos e instituições psiquiátricas;
  • População indígena.

Segunda fase

  • Pessoas de 60 a 74 anos.

Terceira fase

  • Pessoas com comorbidades, que possuem doenças renais crônicas, cardiovasculares, entre outras.

Segundo o governo, o Paraná tem 11 milhões de seringas e agulhas para o começo da campanha de vacinação. Outras 16 milhões já foram adquiridas e devem chegar ao estado nos próximos dias.

Além disso, o estado também tem quatro contêineres refrigerados com capacidade para armazenar 100 mil doses, além de 21 câmaras frias e quatro caminhões refrigerados.

O Paraná conta ainda com 1.850 salas de vacinação espalhadas pelos munícipios. A expectativa do governo é que esse locais de imunização sejam ampliados.

Mais lidas

Copyright © 2019 - Grupo EDA **** CNPJ: 35.301.283/0001-96 **** www.grupoeda.com.br ****Contato: 43 9818-7783 ****

RSS
Follow by Email