Conecte-se Conosco

WEB RADIO DESTAQUE DO IVAÍ



 

Coronavirus

Pazuello diz que vacinação começa em janeiro; avião irá buscar 2 milhões de doses na Índia

Publicado

em

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou nesta quarta-feira que o governo irá enviar um avião à Índia para buscar 2 milhões de doses prontas da vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela farmacêutica britânica AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford (Reino Unido), que serão entregues pelo Instituto Serum, uma das fabricantes do imunizante.

Pazuello garantiu que a vacinação no país começa em janeiro. No país, o imunizante será produzido pela Fiocruz.

— Vamos vacinar em janeiro — afirmou Pazuello. — Hoje decola o avião para ir buscar os 2 milhões de doses na Índia. É o tempo de viajar, apanhar e trazer. Já está com o documento de exportação pronto.

Pazuello voltou a reafirmar que Brasil está preparado para iniciar a vacinação contra a Covid-19 assim que houver o aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Segundo o ministro, todos os estados receberão as doses ao mesmo tempo, inclusive o Amazonas.

Covid-19:Cresce número de internações na rede pública, e país já tem mais de 36 mil pacientes em UTI e enfermaria

— Nós temos duas vacinas para janeiro muito promissoras. São 8 milhões de doses já em janeiro. Quando a Anvisa concluir suas análise, três, quatro dias depois estaremos distribuindo a vacina — disse o ministro.

As vacinas a que o ministro se refere são as do Oxford/Fiocruz e Sinovac/Butantan.

A Anvisa informou ontem que decidirá no domingo, em reunião da diretoria colegiada, sobre a autorização de uso emergencial das duas vacinas submetidas à agência. A data é o penúltimo dia do prazo estabelecido pelo órgão para avaliação dos pedidos.

Sequenciamento: Brasil sofre ‘apagão’ nas análises genéticas das variantes do coronavírus nos últimos meses

No pronunciamento feito durante a visita, o ministro da Saúde destacou que o Brasil tem o maior Programa Nacional de Imunização do “mundo”. Citando a pressão politica , disse que não saiu “do rumo” para garantir a vacinação contra o novo coronavírus.

— Nós vacinamos trezentos milhões de doses por ano e vamos fazer igual com a vacina contra Covid-19. O resto é apenas pressão política, pressão partidária, pressão de bandeira, pressão de interesses particulares. Nós não saímos do nosso rumo nenhum minuto —disse.

Na comparação com outros países, o ministro disse que o Japão, que é referência de primero mundo, só começa a vacinação no mês de março.

Mais lidas

Copyright © 2019 - Grupo EDA **** CNPJ: 35.301.283/0001-96 **** www.grupoeda.com.br ****Contato: 43 9818-7783 ****

RSS
Follow by Email