Conecte-se Conosco

WEB RADIO DESTAQUE DO IVAÍ



 

Cidades

Londrina – Justiça aceita denúncia contra homem acusado de matar a ex-esposa a facadas

Publicado

em

A Justiça aceitou denúncia contra o homem acusado de matar a ex-esposa a facadas no dia 6 de julho, em Londrina, no norte do Paraná. Alan Borges foi denunciado pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) por feminicídio.

Sandra Mara Curti, de 43 anos, foi esfaqueada em frente aos dois filhos, de acordo com a polícia, na casa onde ela morava. As agressões aconteceram após uma discussão com o ex-marido, conforme as investigações.

Ao receber a denúncia contra o acusado, a Justiça também manteve a prisão preventiva de Alan Borges. Ele está preso desde o dia do crime.

Alan Borges tem 40 anos e tinha saído do açougue em que trabalha levando uma faca para a residência da vítima, de acordo com a polícia.

Vizinhos ouviram os pedidos de socorro e seguraram Borges até a chegada da polícia. Sandra chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital.

Os advogados de Alan Borges, Alexandre Aquino e Anna Patrícia Deliberador, afirmaram que a defesa vai se manifestar em momento oportuno sobre as qualificadoras impostas pelo MP-PR, mas enxergam o recebimento da denúncia com naturalidade.

A defesa afirmou ainda que irá pedir a revogação da prisão preventiva, pois entende que Borges possui os requisitos pra responder ao processo em liberdade.

O caso
Sandra era funcionária de uma clínica da Universidade Estadual de Londrina (UEL). Ela ficou casada por 14 anos com Borges. O casal estava separado há três meses.

Borges foi preso em flagrante. No primeiro depoimento que prestou à Polícia Civil, ele disse que cometeu o crime motivado por ciúmes e porque não aceitava o fim do relacionamento.

Suspeito de matar ex-mulher em Londrina diz que esfaqueou vítima durante discussão por causa de uma traição, afirma advogado
Familiares da vítima afirmaram que ela já vinha sendo ameaçada pelo ex-marido e que a vítima fez um Boletim de Ocorrência contra o homem três dias antes de ser morta. Ele estaria vigiando a casa e ela estava com medo.

A Polícia Civil indiciou Borges por homicídio qualificado, com três qualificadoras: motivo fútil, meio cruel e sem possibilidade de defesa da vítima.

Mais lidas

Copyright © 2019 - Grupo EDA **** CNPJ: 35.301.283/0001-96 **** www.grupoeda.com.br ****Contato: 43 9818-7783 ****

RSS
Follow by Email