Conecte-se Conosco

WEB RADIO DESTAQUE DO IVAÍ



 

Cidades

Secretaria de Saúde confirma primeiro caso suspeito de coronavírus no Paraná

Publicado

em

A Secretaria Estadual de Saúde do Paraná (Sesa) confirmou, na noite desta terça-feira (28), o primeiro caso suspeito do coronavírus 2019-nCoV, no Paraná. A suspeita foi anunciada mais cedo, pelo Ministério da Saúde.

Segundo o ministério, um paciente de Curitiba, uma estudante de Belo Horizonte, em Minas Gerais, e outro paciente, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, se enquadram na definição de quadro suspeito estabelecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Os pacientes, conforme a pasta, apresentaram febre, pelo menos um sinal ou sintoma respiratório e possível contato com a doença nos últimos 14 dias.

A Sesa confirmou a suspeita, mas não divulgou detalhes sobre o caso de Curitiba.

Nota do hospital
O paciente com suspeita da doença, em Curitiba, está internado no Hospital Santa Cruz. Após a divulgação do caso, o hospital informou que “o paciente está em observação e isolado. A equipe médica está tomando todos os cuidados indicados pelo protocolo do Ministério da Saúde”.

O hospital ressaltou ainda que, “até o momento não há confirmação da doença”.

Investigação sobre outra suspeita na cidade
Em entrevista à RPC, o secretário estadual de saúde, Beto Preto, disse que existem dois casos suspeitos de coronavírus na capital.

“São casos leves, pessoas que passaram pela China nos últimos dias, estão recebendo todos os cuidados necessários, os exames foram coletados, e obviamente que vamos acompanhar”, disse.

Segundo Beto Preto, a Sesa e a Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba estão em alerta e, “no mais tardar”, nesta quarta-feira (29), devem ter mais informações também sobre normas a adotar junto à Anvisa.

“Não há nada confirmado, quero deixar isso bem claro, mas insisto na questão de que estamos fazendo acompanhamento de perto desses assuntos”, concluiu o secretário.

A Prefeitura de Curitiba emitiu nota sobre a investigação em relação ao segundo caso suspeito, que está em uma Unidade de Pronto Atendimento da cidade.

“Paciente com quadro de infecção respiratória leve, que se encaixa nos critérios de definição da OMS para casos suspeitos de coronavírus. Neste momento, está em avaliação a história epidemiológica da viagem”, diz a nota.

Classificação de risco
Com a divulgação dos novos casos suspeitos, o Ministério da Saúde elevou a classificação de risco do Brasil para o nível 2, que significa “perigo iminente” – até segunda-feira (27) o país estava em nível 1 de alerta.

A mudança de patamar faz parte de um protocolo envolvendo a escala, que vai de 1 a 3 – o nível mais elevado só é ativado quando são confirmados casos transmitidos em solo nacional.

  • Nivel 1 – alerta
  • Nível 2 – perigo iminente
  • Nível 3 – emergência em saúde publica

Além disso, orienta que brasileiros evitem viajar à China ou embarquem somente em casos de extrema necessidade.

Mais lidas

Copyright © 2019 - Grupo EDA **** CNPJ: 35.301.283/0001-96 **** www.grupoeda.com.br ****Contato: 43 9818-7783 ****

RSS
Follow by Email